Governo de Minas classifica como “precoce” possível relação da tragédia com febre amarela