Após a tragédia, cidade de Mariana tenta reverter fragilidade nas leis ambientais